Mundo VUCA, BANI ou simplesmente o Caos?

Tenho percebido uma discussão, sobre qual termo melhor define o cenário atual. Apesar da intenção, acredito que toda tentativa definir algo a limita, é imprecisa e não reflete plenamente a realidade, por isso creio que vale trazer alguns outros pontos para reflexão.

O termo VUCA, que se tornou bastante popular no meio corporativo, não é novo, ele surgiu na década de 1990, no pós guerra fria, no meio militar norte americano, buscando explicar a dinâmica dos acontecimentos e sua evolução no mundo, naquele momento, cujas características eram: a volatilidade (Volatility), a incerteza (Uncertainty), a complexidade (Complexity) e a ambiguidade (Ambiguity).

Em 2018, quando muita gente talvez nem tivesse ouvido falar, ainda, do termo VUCA, Jamais Cascio, um dos 100 maiores pensadores globais, de acordo com a revista Foreign Policy, apresentou em um evento do Institute for The Future (IFTF), um novo termo em substituição ao VUCA, o BANI: Brittle (Frágil/Quebradiço), Anxious (Ansioso), Nonlinear (Não linear) e Incomprehensible (Incompreensível).

Penso que não seja necessário detalhar a representação de cada palavra que compõe cada um dos termos, pois creio que são autoexplicativas e podem ser utilizadas para descrever situações vividas de forma pessoal, nas organizações e na sociedade de forma geral. Porém, se formos analisar, muitas delas podem ser aplicadas em contextos semelhantes ou mesmo admitir significados próximos, ainda que, quando empregadas no termo, seus autores quisessem abarcar uma gama maior de conteúdo.

Termos a parte, vamos ao caos e porque resolvi trazê-lo para a discussão. Recentemente, tive um artigo meu “Administração e o Caos: uma estreita relação”, publicado em 2007, citado em um artigo que faz uma referência acerca da aplicação da Teoria do Caos no cenário atual da pandemia de Covid-19. Isso me fez refletir que os achados de 1963 de Edward Lorenz, pai dessa teoria, estão mais atuais e aplicáveis do que nunca, pois sua descoberta já envolvia imprevisibilidade, não linearidade, incerteza, irreversibilidade e complexidade, ou seja, tudo que já temos vivido.

Considerando que a formulação e compreensão da teoria envolvem um conhecimento mais aprofundado de algumas áreas, tratá-la de forma resumida é um desafio, mas podemos dizer que o cerne da teoria, o efeito borboleta, indica que quando tratamos de sistemas complexos, não lineares, dependentes das condições iniciais, uma sensível variação nestas condições pode trazer resultados totalmente inesperados. A teoria é base para vários modelos presentes em estudos climáticos, meteorológicos, economia, administração, engenharia, astronomia, mercado financeiro, dentre outros.

Voltando a vaca fria, penso que a discussão de VUCA ou BANI é inócua, pois ambos os termos são insuficientes, tanto para descrever a realidade atual, como para o mais importante, que é nos permitir pensar o futuro e como podemos nos preparar para ele. É evidente que eles nos trazem sinais, os sistemas e as tecnologias estão cada vez mais complexas, a inteligência artificial vem trazendo uma dose de incompreensão, toda a velocidade das mudanças tem causado medo e ansiedade, que por sua vez faz com que as pessoas se sintam frágeis e ao mesmo tempo queiram ser mais produtivas, busquem metodologias ágeis, que na verdade tornam os sistemas também frágeis.

Todo esse cenário, a meu ver, reforça o ponto essencial da teoria do caos, a imprevisibilidade e os possíveis efeitos que mudanças sensíveis podem causar, assim, seja no contexto pessoal ou corporativo, administrar o imprevisível e até muitas vezes o improvável, ter atenção máxima aos mínimos sinais de mudança nas condições do ambiente interno e externo, planejar para um futuro que nem sequer sabemos descrever e adaptar as estruturas organizacionais para atender tudo isso, são os grandes desafios dessa realidade.

A imprevisibilidade já é uma constante, aprender a lidar com ela fará toda a diferença, se teremos mais ou menos ansiedade com a incerteza, é o que nos tornará mais ou menos frágeis diante das situações. A boa notícia é que, mesmo o caos, prevê os momentos de acomodação, assim, também devemos identificar esses momentos e aproveitá-los para nos preparar para os demais.

Publicado 25/11/2020.

10 comentários em “Mundo VUCA, BANI ou simplesmente o Caos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto: